segunda-feira, 6 de Junho de 2011

Agapornis: Macho ou Fêmea?

Começar por referir que a distinção entre machos e fêmeas nos agapornis mais comuns (Roseicollis; Fischer; Personata; Nigrigenis) não é de todo fácil, uma vez que estes não apresentam dismorfismo sexual, ou seja, não existe diferença visual entre macho e fêmea.


Para esta tarefa, existem duas possibilidades,nomeadamente:


Através de sexagem por ADN da ave (colheita de 5/6 penas da ave ou de pequena quantidade de sangue), em que é efectuada uma análise laboratorial de forma a determinar exactamente o sexo da ave. Não esquecer que para isto é necessário a inscrição no site de um laboratório à escolha e o pedido de kits de sexagem de forma a poder enviar as amostras colhidas de forma segura. Esta análise tem um custo para o criador, que varia conforme o laboratório escolhido.


Criadores com poucas aves, ou que não pretendam fazer o investimento de sexar a ave, podem recorrer a outras "técnicas", que no entanto não são muito fiáveis, particularmente quando efectuadas por criadores sem experiência. De qualquer das formas, permitem muitas vezes ter uma ideia em grande parte dos pássaros. Assim , é possível, distinguir o macho da fêmea, através de:



  • Avaliação dos ossos pélvicos: mais afastados e arredondados nas fêmeas, e mais fechados e pontiagudos nos machos. Eficácia relativa de cerca de 30%, principalmente em aves jovens;


  • Avaliação Anatómica: as fêmeas apresentam um porte maior, com o formato da cabeça mais arredondado, enquanto que os machos são, geralmente, mais pequenos e com a cabeça mais linear na parte superior.


  • Avaliação postural: as fêmeas têm uma postura no poleiro mais baixa, enquanto que os machos, normalmente, são aves uma postura delgada no poleiro.


  • Avaliação Comportamental: as fêmeas normalmente são aves mais agitadas e mais barulhentas, sendo que, geralmente, são elas que constroem o ninho e que levam o material para o seu interior.

Reforço a noção de que estas técnicas são todas elas muito relativas em aves jovens, e que mesmo em aves adultas podem não representar certezas, na medida em que, diversas vezes, encontram-se aves que não obedecem a estes critérios e que podem induzir em erro. Não esquecer também que a colocação de um nº superior a 6/7 ovos pode ser um indicador da presença de duas fêmeas, sendo que situações como limpar as penas da cabeça um ou outro ou mesmo tentativas de fecundação podem não representar macho e fêmea.


A melhor forma para formar casais de agapornis sem dispender dinheiro na sexagem é juntar diversas aves numa voadeira e ir observando o seu comportemento, uma vez que tendem a juntar-se em casais, formando-os naturalmente.


Qualquer dúvida ou questão em relação aos agapornis estejam à vontade para me enviar um e-mail (aves-rs@hotmail.com) que tentarei esclarecer dentro do possível.

4 comentários:

Anónimo disse...

Tambem se pode ver se é macho ou femea pondo o dedo pequeno no rabo??

Anónimo disse...

Olá
- A Femêa canta também , ou isso é uma caracteristica só dos machos ...
Agradeço desde já
abraços
Jayme fernandes

Anónimo disse...

só tenho dois ,mas os mesmos sao muitos unídos fica se beijando e tenta se namorar, será um casal?

Anonimo disse...

Podem ser do mesmo sexo e formarem casal,na falta de ave do sexo oposto (digo isso criadas em cativeiro) elas forma casal mesmo assim,a unica diferença e que jamais procriarão .